sábado, 23 de agosto de 2008

Palavras.

Foram tantos sonhos desfeitos
Tantos caminhos mal traçados
Nessas linhas eu escrevo um destino incerto
Falo do meu coração mil vezes quebrado

São rimas vazias que ecoam sonoras
nessa alma perdida em um mundo perdido
Palavras soltas se encaixam sem jeito
Às vezes compreensíveis, às vezes sem sentido.

Repentinamente as palavras perdem o valor
Voam, desaparecem no vento
Fazem tudo parecer mentira, irreal
Tornam a realidade fugaz, um tormento.

A exclamação sumiu no silêncio profundo
Por onde andam aqueles sorrisos que espalhei?
Conjugados num passado distante de tudo
E eu mergulhada em interrogações por aqui fiquei.

O dia chega na esperança de um novo começo
a noite anúncia que nada mudou
Eu vejo que palavras não mudam o que vejo
mas o ponto final mostra que tudo terminou.

3 comentários:

ccauan disse...

putz, tá muito irado ó...
principalmete esse final. iraaado mesmo
legal essa sacada da volaptbilidade das palavras :D
muito bom mesmo ;D
beijãOo

Igor Pontes Pinheiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Igor Pontes Pinheiro disse...

''A exclamação sumiu no silêncio profundo
Por onde andam aqueles sorrisos que espalhei?
Conjugados num passado distante de tudo
E eu mergulhada em interrogações por aqui fiquei''.

Putz! bom mesmo... esse final realmente dita o que é certo... O sinal gráfico mais poderoso de todos! o Ponto final... que decreta guerras e mortes... E serve também para finalizar uma oração. kkkkkkkkk Muito bom mesmo... Fico aqui esperando pelo próximo... Já que realmente sou eu aqui... Não o meu Psiu... ops! deixa pra lá, acho que sabe o que eu tô falando... beijão tdm! até mais