sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Brincar de ser igual, brincar de mentir.

Eu decidi que agora eu vou brincar de viver. Brincar de viver por que todo mundo brinca de amar, brinca de ser amigo, brinca de casar, brinca de ajudar, brinca de ser político, de ser médico, de ser advogado. E como toda brincadeira, só se leva a sério quando se está afim, caso contrário, toda brincadeira é sempre uma brincadeira. Quando a gente cansa de brincar, a gente deixa o jogo de lado e sai pra descansar. Entendeu?

Agora eu decidi também que vou confiar somente nos meus amigos imaginários. Ninguém pode ser mais confiavél do que eles. Eles jamais me trairão, muito menos contarão meus segredos por aí e nem falarão coisas que eu não quero ouvir. Meus amigos imaginários estarão comigo em todos os momentos, serão quem eu quiser, no momento em que eu bem entender. Meus amigos imaginários me mostrarão as verdades que EU quero ver.

De hoje em diante eu vou pensar só em mim, vou me preocupar somente em realizar meus desejos e satisfazer o meu ego. Vou me preocupar com a minha aparência e com as minhas coisas materias e não vou dividi-las com ninguém, diga-se de passagem, por que se alguém quiser alguma coisa que eu tenha, que vá comprar! Eu só vou brincar de ser amigo de alguém se esse alguém tiver alguma coisa a me oferecer e quando esse alguém me oferecer o que eu quero, eu o deixo de lado, ou melhor, páro de brincar de ser amigo da criatura em questão. Muito simples. Vou comprar milhares de roupas de marca, sapatos e mais sapatos carissímos, jóias e mais jóias, ir ao salão de beleza todos os dias e comprar, no minímo, entenda, no minímo, um carro por ano!

A partir de agora eu também vou julgar todo mundo pela aparência e se a pessoa não for bonita eu vou abominá-la, exclui-la do meu círculo social. Antes de brincar de me relacionar com alguém vou checar o seu status social, a sua conta bancária e se for tudo de alta qualidade, farei um bom investimento. Pode ser a curto ou alongo prazo, mas jamais será eterno, por que óbviamente, nenhuma brincadeira dura para sempre.

Ah! É claro que eu vou, daqui pra frente, maltratar todos os desprovidos de dinheiro, posição social, beleza, inteligência, enfim, aqueles pobres coitados que Deus mandou ao mundo exatamente para isso. Ou você acha que essas criaturas existem para nós, exímios mortais, ajudarmos?! Me poupe, né? Eles vieram para nos servir, isso está claro desde os primórdios da humanidade!

Em resumo, é isso. Decidi que seguirei a risca o modo de viver de toda a humanidade. Serei egoísta, fútil, falsa, materialista. Afinal, é muito ruim você se sentir excluída da sociedade. Pensei muito e vi que era preciso tomar uma atitude para me incluir no mundo de hoje e que para isso era necessário algumas mudanças, aí estão todas elas. Decidi também que eu vou parar de mentir, é muito feio. Por que na verdade eu odeio, execro todas as pessoas que agem assim, levando a vida e as pessoas com essa futilidade, brincando com os sentimentos de todos e olhando para o próprio umbigo, como se os seus interesses e o seu ego estivesse acima de tudo e de todos. Mesmo sendo diferente de quase todos, prefiro continuar assim e em paz com a minha consciência, do que ser mais uma a brincar com o que deveria ser levado a sério.

2 comentários:

Eduardo Porto disse...

Eu não sabia que era imaginário T_T
*chora*

É não, tá lindo sim. Hum... Parece um 'soneto da criança mimada' em prosa, mas deixa pra lá. xD

beijos.

ccauan disse...

boooua... gostei pra caramba, ó...
li teu texto sexta antes de viajar, mas só tive tempo de comentar hoje, e passei boa parte da viagem pensando nisso que tu disse. che guei a conclusão de que quero continuar sendo eu e ignorar certas necessidades de mudanças pra me adaptar a esse mundo que tá me mostrando a cara aagora, vou continuar sendo eu :)
Eu nunca soube se dar a uma pessoa o adjetivo de humana é algo bom :T
gostei pra caralho do texto^^
beijOo